Bairro do Catete: Tradicional, histórico e vintage!

O Catete é um tradicional bairro carioca e basta uma simples caminhada por suas vias para encontrar monumentos históricos, imóveis e personagens que contam um pedacinho da história do Rio de Janeiro.

O bairro inspira um estilo de vida cosmopolita. Com uma arquitetura vintage e lembranças do Rio antigo para todos os lados, o Catete consegue reunir a loucura do Centro com o charme dos bairros vizinhos. Situado entre Laranjeiras, Flamengo e Glória, a região é sempre bem movimentada e agitada. Sua localização é privilegiada pela proximidade e facilidade de acesso ao Centro.

O bairro tem “personalidade” e consegue marcar bem sua presença, mesmo sendo vizinho de bairros mais badalados por turistas. Entre seus principais atributos, vale destacar o Palácio do Catete, os templos religiosos, a Praça Largo do Machado, a Galeria Condor e o cinema São Luiz.

Catete

Rua do Catete

O comércio de rua também é outro ponto muito característico. Apesar de ser essencialmente residencial, o morador do Catete consegue encontrar de tudo por perto, desde tradicionais restaurantes até os mais pitorescos souvenires, como, chinelo quadrado com estampas cariocas.

Segundo o índice de valorização imobiliária da cidade, o bairro encontra-se na 12º posição dos bairros mais valorizados do Rio de Janeiro.

História do Bairro do Catete

A história do Bairro começa em sua principal via, a Rua do Catete. Anteriormente chamada de “Caminho do Catete”, o local já existia antes mesmo da chegada dos portugueses ao Rio de Janeiro. A região era ocupada pelos índios tamoios da aldeia Uruçumirim e foi palco para diversos confrontos entre franceses e portugueses.

Do Caminho do Catete era possível observar um trecho do Rio Carioca, que corta todo o trajeto desde o Cosme Velho e desagua na Praia do Flamengo. Outro rio da região era o Catete, que corria em paralelo ao Carioca. O Bairro do Catete já foi até mesmo recanto do presidente da República entre os anos 1897 a 1960.

Palácio do Catete

O Palácio do Catete é, sem dúvida, o ponto mais badalado do bairro. Construído, primeiramente, para ser a residência do poderoso comerciante António Clemente Pinto, o Barão de Nova Friburgo, o local era chamado de “Palácio de Nova Friburgo”.

Sua construção teve início em 1858 e foi concluída nove anos depois. De autoria do alemão Carl Gustav Waehneldt, o projeto foi premiado pela Academia de Bellas Artes do Rio de Janeiro.

Catete

Após a morte do Barão e da Baronesa, o filho do casal, Antônio Clemente Pinto Filho, vendeu o imóvel para um grupo de investidores. Os novos donos tentaram transformar o Palácio em um luxuoso hotel, porém não deu certo.

Oficialmente, o Palácio foi a sede do Poder Executivo do Brasil entre 1897 e 1960. O local é marcado por diversos fatos históricos, como:

  • A morte do presidente Afonso Pena;
  • Assinatura da declaração de guerra contra a Alemanha em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial;
  • Sarau com a presença de Chiquinha Gonzaga
  • Visita e hospedagem do cardeal Eugenio Pacelli, que viria a ser o papa Pio XII, em 1934;
  • Declaração de guerra contra o Eixo, na Segunda Guerra Mundial, em 1942;
  • Suicídio do presidente Getúlio Vargas, em 1954, com um tiro no coração, em seu aposento no terceiro andar do palácio

O prédio tombado pelo Iphan como patrimônio cultural da cidade, atualmente, abriga o Museu da República. Sua riqueza arquitetônica é de impressionar e reflete perfeitamente a rica sociedade escravocrata dos períodos imperiais.

Visitar o museu é quase reviver o passado. Logo no hall de entrada já é possível perceber que o ambiente é extremamente luxuoso. Composto por esculturas, luminárias, pinturas, ornamentos e o teto original, o lugar é imponente.

Catete

Os outros cômodos do Palácio são: Salão Ministerial, Capela, Salão Francês (Salão Azul), Salão Nobre (Salão de Baile), Salão Veneziano (Salão Amarelo), Salão Mourisco, Salão de Banquetes, Galeria de Clarabóia e Quarto presidencial.

O destaque é para a impressionante reconstituição do quarto do ex-presidente Getúlio Vargas, que conta até mesmo com o histórico revólver usado em seu suicídio.

CONFIRA ESTE ÁLBUM DE FOTOS DO PALÁCIO DO CATETE

 

Aos fundos do museu, está localizado um lindo jardim compreendido em 250 metros de extensão, o lugar é um recanto verde! Totalmente arborizado, ainda conta com esculturas, pontes, grutas, flores e patos e marrecos que vivem no lago.

O lugar é bastante frequentado por quem gosta de praticar atividades físicas ao ar livre. O acesso ao Jardim do museu é gratuito. Já para quem deseja visitar o museu, os horários de funcionamento são de terça a sexta, de 10h às 17h, e sábado e domingo, das 11h às 18h. Há a opção de visitas guiadas com agendamento prévio. O ingresso custa apenas R$ 6,00.

Largo do Machado

A Praça Largo do Machado é uma atração à parte. Situada na divisa entre os bairros Catete, Flamengo e Laranjeiras, o lugar é muito movimentado. Além do amplo comércio da região, muitas pessoas fazem baldeação no local a caminho de seus trabalhos. A variedade no transporte é um ponto forte. Além da própria estação de metrô, há opções de ônibus para todas as partes da cidade.

Embora muitos acreditem que “Largo do Machado” seja uma homenagem ao escritor Machado de Assis, isso não é verdade. A praça ganhou esse nome ainda no século XVIII, bem antes de Machado de Assis nascer. O real homenageado é André Nogueira Machado, proprietário de terras na região, em 1810, a nomenclatura do lugar se fortaleceu. Um açogueiro local, resolveu usar, na fachada de seu estabelecimento, um machado, e acabou fazendo uma ótima jogada de marketing.

Catete

A região do atual Largo do Machado já foi até mesmo uma lagoa. A Lagoa da Carioca era alimentada pelo Rio Carioca. Com a expansão da cidade, a lagoa foi aterrada.

A Praça Largo do Machado lembra muito pracinhas de filmes e novelas, não fosse pelo trânsito intenso da região, pareceria interior. O comércio é a principal atividade econômica do lugar que conta com galerias, cinema, escolas, bares e muitas lojas.

O local ainda é palco para muitas atividades culturais, sempre há alguma feira artesanal, eventos de música e artistas de rua. Aos sábados, acontece uma tradicional feira de legumes e verduras.

A Igreja Nossa Senhora da Glória e o lindíssimo Colégio Estadual Amaro Cavalcanti, de 1874 agregam charme à praça.

Galeria Condor

A Galeria Condor é mais uma clássica atração do bairro e passeio certo para os visitantes do Catete. Além de diversas opções de lojas o lugar ainda é lar para conta um patrimônio da gastronomia carioca. A Rotisseria Sírio Libanesa, mais conhecida como o “Árabe do Largo do Machado”, é uma atração turística.O restaurante é conhecido pelas deliciosas esfihas, de massa leve e bastante recheio.

Catete

A Rua do Catete

A Rua do Catete é a principal via do bairro e percorre toda a sua extensão. Seus principais pontos são o Palácio do Catete, a Praça Largo do Machado e o metrô. Bastante movimentada e com amplo comércio, encontra-se facilmente restaurantes, lanchonetes, bares, lojas de roupas e objetos, farmácias, galerias, mercados, padarias, etc.

Catete

Muitos sobrados e cores na Rua do Catete

Outra importante característica do lugar é a grande quantidade de camelôs. O comércio de rua é bastante amplo. Os ambulantes, muitas vezes, ficam alocados no chão e calçadas ao longo da via. A rua ainda é bastante rica em transporte público. Além dos pontos de ônibus, também possui uma estação de metrô privilegiada.

Aterro do Flamengo

Não há como falar de lazer no Catete sem falar sobre o Aterro do Flamengo. O Parque Eduardo Gomes, é a maior área de lazer da Zona Sul e um dos mais belos cartões-postais do Rio. O Aterro do Flamengo, como é popularmente conhecido, estende-se desde o Aeroporto Santos-Dumont até o bairro de Botafogo.

O Parque é uma ótima opção de lazer para os cariocas. Arborizado, com uma diversificada flora, ciclovia, quadras de futsal, basquete e tênis, pista de skate, aparelhos de ginástica, parquinho para as crianças e oito campos de futsal society, ainda é paralelo à Praia do Flamengo e apresenta uma bela paisagem ao fundo.

Principais Ruas do Bairro

Curiosidades

  • O bairro foi cenário para o episódio de estreia da série da Rede Globo “As Cariocas”. Protagonizado por Aline Morais, o episódio teve o título de “A noiva do Catete”.
  • Há muitas versões sobre o nome do bairro. Alguns afirmam que tem origem indígena, e significa “folha grande ou mato grosso”. Mas também era o nome do Rio que corria próximo à Rua do Catete.
  • Além do Barão de Nova Friburgo e Getúlio Vargas, o Catete teve como seus moradores a cantora Carmen Miranda e o escritor Machado de Assis.

 

Cármen Miranda foi uma moradora ilustre do Catete

Cármen Miranda foi uma moradora ilustre do Catete

Palavras de uma moradora do Catete

Lúcia Moura (42), vive no bairro do Catete há 20 anos. Moradora da rua Silveira Martins ela conta como é a vida no local: “Adoro morar no Catete. Vim para o Rio de Janeiro ainda muito nova. Sou de Curitiba, mas sonhava construir uma vida aqui.  Escolhi o bairro pelo ótimo custo / benefício”. Trabalhando no Centro, a bancária afirma que é privilegiada por não enfrentar o trânsito intenso todos os dias: “Consigo chegar no meu trabalho em 30 minutos”, conta.

O Bairro é ideal para todo mundo. Crianças, adolescentes, adultos e idosos. Todo mundo consegue se encontrar e ser feliz aqui

Nos finais de semana, a moradora gosta mesmo é de pedalar: “Pego minha bicicleta e vou para o Aterro do Flamengo. É um ótimo exercício, ao ar livre, com uma bela paisagem e bem pertinho de casa”, explica. “Também costumo caminhar pelo bairro, ler um livro no jardim do Palácio e fazer compras na Rua do Catete”.

Lúcia define o bairro como um lugar prático e charmoso: “Eu gosto dessa pegada mais cosmopolita daqui. Gosto dessa agitação urbana, com as paisagens bonitas e o tanto de história que o bairro reserva”, finaliza.